CMDCA-Rio realiza assembleia ordinria de novembro

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA-Rio) realizou neste dia 11 de novembro de 2019 a assembleia mensal ordinária. Na abertura do evento foi feita a leitura e aprovação da ata da assembleia de 22 de outubro.

Na sequência foi lida a deliberação 1.358/2019 fazendo destaque às mudanças dos seguintes conselheiros: retorno da Maria America Diniz Reis à 2º Secretaria, em substituição a Deise Gravina. Carlos R. Laudelino passa para a Comissão de Garantia de Direitos, Adilécio Silva Faria passa a integrar a Comissão de Orçamento. Já na Casa Civil sai Micheli Accioly Cruz Resende da Silva e entra Vânia Mara da Silva Rodrigues. A deliberação foi votada e aprovada.

Em relação à deliberação 1.359/2019 ficou decidido em reunião com a mesa diretora que quatro instituições não podem se candidatar nas próximas eleições de conselheiros da sociedade civil, mas podem fazer parte da comissão eleitoral. São eles: Patricia Coda, da Cruzada do Menor, André Rangel, da Contatos, Deise Gravina, da Federação de Instituições Beneficentes de Iniciativa Particular do Rio de Janeiro (FIB) e Geciel de Almeida, da Guarda-Municipal. Lembrando que a deliberação precisa ser aprovada em dezembro, uma vez que a eleição acontece em março. Mediante a alguns questionamentos da plenária, que podem resultar numa alteração da comissão eleitoral, a presidente do CMDCA-Rio Carla Marize Silva propôs realizar uma assembleia extraordinária para decidir sobre o tema.

Outro assunto abordado foi informar sobre o café da manhã que o CMDCA-Rio está promovendo em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade (CRC-RJ) visando sensibilizar empresários e profissionais de contabilidade para que realizem doações ao Fundo Municipal de Atendimento dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMADCA).

Carlos R. Laudelino informou que no dia de hoje será enviada ao Diário Oficial do Município (D.O.M) a listagem de todos os candidatos aptos a participar do curso de capacitação e que se encerra nesta data o recebimento de todas as denúncias que sejam oferecidas pelo Ministério Público. O conselheiro disse que protocolou em Brasília uma representação contra o TRE-RJ, com objetivo de fazer com que o órgão assuma as eleições de conselho tutelar para que ela passe a ser oficial.

Por fim, houve a entrega de certificados às instituições. Participaram da assembleia os integrantes do conselho, entidades membros do CMDCA-Rio, conselheiros tutelares e demais interessados.