Iniciativa do CMDCA-Rio e da Guarda Municipal distribui mais de seis mil pulseiras de identificao

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA-Rio) distribuiu durante o Carnaval, em parceria com a Guarda Municipal, a Fundação para a Infância e Adolescência (FIA) e a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), cerca de seis mil pulseiras de identificação para crianças e adolescentes nos blocos infantis e desfile mirim, visando aumentar a proteção a este público.

- Avalio a campanha como sendo muito importante por celebrar esta parceria entre os órgãos envolvidos, que vem dando certo há alguns anos, com ações preventivas e protetivas dos direitos da criança e do adolescente. Em um momento de festa, onde as pessoas estão voltadas para se divertir, é importante que a gente possa levar informação para que a sociedade se atente para a necessidade de fiscalizar e denunciar, se for preciso, qualquer tipo violação, não só durante o Carnaval, mas no ano todo. Foi também uma boa oportunidade para que a população conheça melhor o trabalho do CMDCA-Rio e de outros órgãos que promovem ações de defesa de direitos infantojuvenis - explica a conselheira do CMDCA-Rio, Patrícia Coda.

Denominado de “Folia Legal”, a iniciativa contou com equipe especializada distribuídas em seis blocos, além do desfile mirim, de sexta a terça-feira de Carnaval e no sábado das campeãs. Para atrair a atenção de crianças e adolescentes e torná-la mais visível, foram colocados bonecos da Guarda Municipal, banners e distribuídas ventarolas nos locais.

O principal objetivo foi criar nas pessoas a cultura de identificar crianças e adolescentes em qualquer lugar onde elas estejam. Isso porque muitos pais ou responsáveis não tem ideia do quanto é alto o número de crianças desaparecidas e muitas pessoas só procuram os órgãos especializados quando o desaparecimento já foi consumado. Por isso, a equipe não apenas entregou a pulseira de identificação aos pais, como também os conscientizou dos riscos.

- O foco desta ação é a proteção das crianças e dos adolescentes em mega eventos, através da identificação e conscientização de todos, visando a diminuição de desaparecimentos deste público em eventos de grande porte, como é o caso do Carnaval – resume a vice-presidente do CMDCA-Rio e integrante da Guarda-Municipal, Carla Marize Augusta da Silva.

A advogada Bianca da Silva, que esteve com o sobrinho Mateus Souza, de 6 anos, no bloco Largo do Machadinho, Mas Não Largo do Suquinho, no Largo do Machado, acha fundamental tomar todos os cuidados possíveis para garantir a segurança dos foliões infantis.

- Eu não apenas identifiquei o Mateus como também expliquei para ele qual é a função da pulseira e deixei claro que, caso um adulto responsável não esteja por perto, ele deve procurar ajuda de um policial ou guarda municipal – afirma,